Insights

IPO – Quando vale a pena fazer

O número de empresas que entraram com pedido de IPO – Initial Public Offering em 2020 alcançou um número expressivo. Segundo dados da CVM – Comissão de Valores Mobiliários, somente no período entre janeiro e março deste ano 12 empresas realizaram suas ofertas iniciais de ações, movimentando o equivalente a R$ 11,9 bilhões, enquanto outras 40 ainda aguardavam autorização e seguiam os trâmites necessários para colocar em prática sua oferta inicial de ações.

O número de pedidos de IPO na Bolsa de Valores brasileira pode parecer pequeno quando fazemos uma comparação com economias desenvolvidas como a Americana, capaz de registrar 300 IPOs em um único ano. No entanto, aqui no Brasil alcançar mais de 50 pedidos em um único ano é algo muito significativo, tendo em vista que a média de pedidos de IPO nos últimos anos ficou bem abaixo deste número.

A crescente do número de IPOs é uma boa notícia e tem agradado muito os investidores e analistas de mercado. Com um número maior de empresas e também de investidores entrando na Bolsa, o mercado de ações brasileiro só tem a crescer, ganhando as empresas por um lado, enquanto captam recursos e alavancam seus negócios e investidores de outro lado, que tornam-se acionistas e contam com a oportunidade de lucrar junto a grandes empresas.

Em meio a um cenário de crescimento da Bolsa de Valores, onde se registram mais de 3 milhões de investidores e mais de 50 pedidos de IPO, surge a seguinte pergunta:

“Quando vale a pena fazer e quando não vale a pena entrar com um pedido de IPO?”

A resposta para essa pergunta é o que você confere neste conteúdo, especial que aborda custos e vantagens relacionadas ao processo de entrada das empresas no mercado de ações, o tradicional IPO.

Por que as empresas entram na Bolsa de Valores?

Para boa parte das empresas, entrar com um pedido de IPO pode ser um excelente negócio, logo não é à toa o número cada vez maior de empresas decidindo pela abertura de capital.

Gestores e empresários perceberam o quando suas empresas podem captar em recursos no mercado. Recursos, que servem de combustível para alavancagens e expansões da marca, produtos e serviços, geração de lucros cada vez maiores, maior visibilidade e muitos outros benefícios.

Os recursos provenientes de uma oferta inicial de ações, quando bem administrados e aplicados podem fazer com que as empresas cresçam em ritmo acelerado, atraindo cada vez mais investidores e conquistando faturamento e lucro cada vez maiores.

Talvez, você que chegou até este conteúdo ocupe um cargo de direção e gestão em uma empresa de médio ou grande porte. Nesse caso, gostaria de fazer uma pergunta: Entrar com um pedido de IPO e abrir o capital da empresa é um assunto cogitado pela sua empresa?

Se você respondeu que sim, vale a pena continuar nesse conteúdo para conhecer os principais custos e também as vantagens relacionadas a um pedido de IPO.

Principais custos relacionados a um pedido de IPO

Custos com auditoria e honorários: Dentre os custos relacionados a preparação de uma empresa para um pedido de IPO, estão os custos com honorários profissionais de auditores, contadores especializados e advogados, profissionais que possuem a responsabilidade de prestar assessoria para as empresas e auxiliar nos preparativos e exigências que envolvem a abertura de capital.

Custos relacionados ao desenvolvimento e manutenção de uma estrutura de governança: Além dos custos com profissionais externos e especializados nos processos de IPO, é preciso destacar ainda os custos relacionadas a montagem de uma estrutura de governança com conselheiros e profissionais voltados para o relacionamento com investidores, caso a mesma ainda não existam na empresa.

Custos com softwares robustos e automação de processos: Não podemos nos esquecer também dos custos relacionados a sistemas robustos, os chamados ERP, softwares poderosos e preparados para entregar o nível de automação, confiabilidade e relatórios que uma empresa de capital aberto precisa.

Custos com a contratação de mão de obra e profissionais altamente qualificados: As empresas que decidem listar o seu capital na Bolsa de Valores também precisam investir em profissionais altamente qualificados, principalmente para as áreas de contabilidade, finanças, jurídica e de auditoria.

Custos com a contratação de um banco de investimentos: Temos também os custos relacionados com a contratação dos Bancos de Investimentos, instituições financeiras que ficam com a responsabilidade de captar e atrair investidores, além é claro de operacionalizar e efetivar a entrada da empresa na Bolsa de Valores.

Custos com o pagamento de taxas para a CVM e B3: Por fim, temos as taxas devidas a CVM – Comissão de Valores Mobiliários e a B3.

Não podemos negar, os custos relacionados a um pedido de IPO são significativos, no entanto, não se comparam com os recursos que podem ser captados pela empresa junto ao mercado. Para que tenhamos uma ideia, em média os custos relacionados a abertura de capital representam algo em torno de 4,8% do montante arrecadado com o IPO.

Vantagens relacionados a um pedido de IPO

Após entender o que levam as empresas a optarem por abrir o capital na Bolsa de Valores por meio do pedido de IPO, é hora de conhecermos as principais vantagens relacionadas ao processo.

Captação de recursos no mercado: Sem dúvidas a captação de recursos no mercado  de ações é um dos principais incentivos para que as empresas decidam abrir o seu capital. Na maioria dos casos, as empresas conseguem captar dezenas ou centenas de milhões de reais, enquanto algumas chegam a captar recursos na ordem dos bilhões de reais!

Expansão dos negócios e investimentos: Outra grande vantagem relacionada ao lançamento da empresa na Bolsa de Valores diz respeito a alavancagem dos negócios e aceleração da expansão e dos investimentos com base nos recursos captados junto aos investidores.

Melhoria dos processos internos: Como requisito para entrar na Bolsa de Valores, as empresas precisam investir pesado na melhoria de processos internos de gestão e também no desenvolvimento da sua força de trabalho. Investimento, que melhora os processos da empresa como um todo, gerando maior eficiência e redução de custos.

Alto potencial de marketing e visibilidade: Por fim, não podemos deixar de destacar o alto potencial de marketing e a visibilidade que a abertura de capital proporciona para as empresas.

Quando vale a pena entrar com um pedido de IPO?

Por fim, respondendo a pergunta inicial deste conteúdo, podemos afirmar que vale a pena entrar com um pedido de IPO, quando os processos internos e a governança da empresa estão bem estruturados e os últimos resultados são positivos.

Para atrair investidores, as empresas precisam transmitir segurança e potencial de retorno para os investidores e nada mais do que isso.

Sendo assim, engana-se quem pensa que apenas as maiores corporações podem entrar na Bolsa de Valores. Desde que exista governança e processos bem definidos, médias empresas também podem obter acesso ao mercado acionário